Globo Repórter – O poder dos alimentos orgânicos – Sessão TV.br
25 mar, 2011

Posted by | 3 Comments

Globo Repórter – O poder dos alimentos orgânicos

Globo Repórter

Globo Repórter

O Globo Repórter de hoje, 25/03/11, irá mostrar os benefícios dos alimentos orgânicos e os prejuízos provocados pelos agrotóxicos. Os alimentos orgânicos são aqueles produzidos sem a utilização de agrotóxicos, hormônios ou fertilizantes, venenos industrializados para o combate de pragas ou aumento da produção. Ao invés disso, as pragas são evitadas com substâncias naturais, predadores de pragas ou com o manejo das plantas, da mesma forma que era feito antes da invenção destas substâncias tóxicas.

O maior produtor de orgânicos do mundo é a Austrália, que possui a maior área plantada de orgânicos do mundo, com aproximadamente 12 milhões de hectares. Já o maior consumidor, ironicamente, já que eles contam com a maior população de obesos e são também os que mais utilizam agrotóxicos, são os EUA, seguidos da Alemanha e do Japão. A Europa e os EUA consomem cerca de 97% dos orgânicos plantados no mundo. Já o Brasil produz 300 mil toneladas por ano (a maior parte em açúcar). Cerca de 70% do que é produzido segue direto para exportação.

O principal motivo da maioria dos orgânicos brasileiros seguir para exportação e quase nenhum orgânico importado ser encontrado aqui, é simples: o preço. Como estes produtos não recebem substâncias que provocam o aumento da produção e são muito sensíveis a pragas, o que exige mais mão de obra, seu preço final sempre será maior que dos vegetais produzidos com agrotóxicos. Como o Brasil ainda é um país pobre em que as pessoas ainda tem que se preocupar mais em comer do que com a qualidade dos alimentos, eles ainda não “pegaram” no Brasil, o que é uma pena para nós… Uma solução proposta pelo programa é a criação de hortas caseiras, desta forma você terá alimentos seguramente livres de agrotóxicos e da forma mais barata possível!

Como eles surgiram

Mais do que um meio de produção diferente, esse tipo de agricultura é uma filosofia. Começou em 1940, quando o botânico inglês Albert Howard (1873-1947) sugeriu que as lavouras deveriam ser tratadas como florestas, como “organismos” capazes de se sustentar sem a química. Ali, então, os fertilizantes de laboratório cedem lugar a adubos como esterco e restos de vegetação. Os dois são fontes naturais daqueles nutrientes básicos, só que bem menos concentrados que os fertilizantes químicos – por isso, aliás, a agricultura orgânica não produz vegetais tão grandes quanto os da convencional.

Alimentos orgânicos

No lugar dos pesticidas sintéticos entram seres vivos – vespas para combater insetos comedores de cana, joaninhas contra pulgões de hortaliças, e por aí vai. Mais: a rotação de culturas também serve como “pesticida” ali. Se você reveza uma plantação de milho com uma de legumes, por exemplo, não deixa nem as pragas que gostam de milho nem as chegadas em legumes dominar a lavoura. Mas não fica nisso. Para ter mais produtividade, a agricultura orgânica também usa pesticidas menos “verdes”, como enxofre e inseticidas à base de plantas. A diferença é que eles devem ter origem natural e não causar problemas à saúde ou ao meio ambiente. Mas há controvérsias.

Hoje, quem indica as substâncias que podem entrar nessa lavoura é a Federação Internacional da Agricultura Orgânica (Ifoam), com sede em Bonn, na Alemanha. Mas as regras que ela define não são universais: cada lugar se regula como quiser. E aí vêm alguns conflitos. Nos EUA, por exemplo, o governo deixa os cultivadores de orgânicos usar um mineral chamado nitrato chileno. É um fertilizante 100% natural, só que na Europa foi considerado tão nocivo ao meio ambiente quanto os artificiais. E acabou banido.

Benefícios

Os benefícios da agricultura orgânica para o ambiente são claros. Por exemplo: algumas fazendas do estado de São Paulo começaram a produzir cana seguindo os princípios orgânicos. E pesquisas constataram que a biodiversidade ao redor delas é 3 a 4 vezes maior que a das áreas que plantam cana pelo método convencional.

Tudo graças a cuidados sutis. “A agricultura orgânica desenvolve pesticidas bem seletivos. Posso pegar um fungo que ataca um tipo de inseto, mas que não faz mal para outros animais. Já os pesticidas normais não. Eles eliminam tudo o que tiver por perto”, diz o agrônomo Luiz Cláudio Meirelles, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Outra motivação de quem opta pelos orgânicos é não comer veneno como tempero. Mas para alguns especialistas isso é paranóia. Primeiro, porque o pesticida mais tóxico da história, o DDT, foi proibido na maior parte do mundo – no Brasil, em 1985. Segundo, porque qualquer agrotóxico passa por testes antes de ser aprovado. “E a última etapa é justamente verificar a quantidade de resíduos que ele deixa”, diz Jorge do Vale Oliveira, do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), em Campinas. “Se ela ficar além do que é considerado seguro para a saúde, o produto não é liberado”, completa.

O Globo Repórter vai ao ar hoje, sexta-feira, dia 25/03. Após o programa, o nutricionista Fábio da Silva Gomes, do Inca (Instituto Nacional de Câncer), irá  participar de um chat no site do Globo Repórter. Ele irá tirar dúvidas de internautas sobre alimentos orgânicos.

Assista a chamada para o programa aqui:

  1. A frase prejuízo causado pelos agrotóxicos é no mínimo curiosa, pelo menos para um país em que 25% da balança comercial depende das exportações provenientes de culturas que utilizam os agrotóxicos.
    Prejuízos? Sim, para a saúde daqueles que utilizam estes produtos de forma errada.
  2. Prezado Antônio,
    Não se trata de questão econômica, mas de sobrevivência. Não se trata de utilizar bem o mal representado pelos venenos agrícolas. Não é possível fazer bom uso dos agrotóxicos, exterminadores da biodiversidade, contaminantes dos lençóis freáticos, do ar, dos solos. O agrotóxico é um produto nascido da estupidez capitalista, que acredita poder levar para o campo o sistema industrial. O agrotóxico só interessa aos ruralista, cujas plantações preferidas ficam nos cofres bancários e na bôlsa de valores. O prejuízo ambiental causado pelos grotóxicos tem valor infinitamente superior aos ganhos da agroindústria. Você, e todos nós, logo começaremos a sentir na pele o que estou dizendo.
    fernando gomes
  3. ola gostaria qu vcs passe novamente programa que fala dos produtos organicos gostaria muito não pude ver mas mefalaram que foi muito bom vi um pouco no eb espero uma resposta de voces obrga.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: